Pages Menu
RssFacebook
Categories Menu

Postado por em mar 15, 2018 em Notícias, Questão Racial, Secretaria da Mulher, Slides | 0 comentários

Violência e brutalidade tiram vida da companheira de lutas, vereadora do RJ, Marielle Franco (PSOL)

Violência e brutalidade tiram vida da companheira de lutas, vereadora do RJ, Marielle Franco (PSOL)

A vereadora Marielle Franco foi morta a tiros região central do Rio de Janeiro, junto com ela estavam o motorista Anderson Pedro Gomes, que também foi morto, e uma assessora, Fernanda Chaves, que sobreviveu e foi hospitalizada com ferimentos de estilhaços. Fontes da polícia dizem que todos os indícios, até o momento, indicam que o crime não se trata de um assalto.

Informações de fontes policiais informam que os assassinos emparelharam um carro ao lado do veículo onde estava a vereadora e dispararam. Eles fugiram sem levar nada. No sábado (10), Marielle fez uma postagem no Twitter reclamando da ação dos PMs em Acari. “O que está acontecendo agora em Acari é um absurdo! E acontece desde sempre! O 41° batalhão da PM é conhecido como Batalhão da morte. CHEGA de esculachar a população! CHEGA de matarem nossos jovens”, escreveu ela.

Cria da Maré

Marielle se apresentava como “cria da Maré” e foi a quinta vereadora mais votada do Rio nas eleições de 2016, com 46.502 votos. Socióloga formada pela PUC-Rio e mestra em Administração Pública pela Universidade Federal Fluminense (UFF), teve dissertação de mestrado com o tema “UPP: a redução da favela a três letras”.

Trabalhou em organizações da sociedade civil como a Brasil Foundation e o Centro de Ações Solidárias da Maré (Ceasm). Coordenou a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), ao lado de Marcelo Freixo.

No domingo (11), Marielle denunciou uma ação de PMs do 41º BPM (Irajá) na Favela de Acari. Segundo ela, moradores reclamaram da truculência dos policiais durante a abordagem a moradores. Ela compartilhou uma publicação em que comenta que os rapazes foram jogados em um valão. De acordo com moradores, no último sábado (10), os PMs invadiram casas, fotografaram suas identidades e aterrorizaram populares no entorno.

Assista ao último evento em que a vereadora participou:

Do Portal Vermelho, com informações de agências e das redes sociais.

Deixe uma Mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.